0
roupas velhas e surradas

calas jeans
bermudas
camisas e camisetas

roupas que tantas vezes vesti
sujas e suadas
tantas vezes lavei

agora
agora
agora
todas to desbotadas
minhas roupas velhas e surradas

vincos e manchas
marcas
as marcas do tempo em minhas roupas surradas

minhas roupas que viram tudo
cada um dos meus encontros
cada uma das incontveis despedidas
desacertos
cada um dos meus desencontros...
Read More
VIEW 6 of 6 COMMENTS
haylie:
obrigadaaa! kiss
darkskies_:
Hi, Haylie!!! kiss
1
felicia_:
??? shocked

winkkisswink
darkskies_:
love
0
procuro um ser
criatura
homem

eu
filho de mim mesmo

eu
sem pais nem deuses a reverenciar

sem deuses a me referendar

o dia segue e
eu
to perdido de mim

s o tempo a dizer quem
quem poderei encontrar
aqui
em mim

-- junho de 2013
haylie:
obrigadaaa! e sobre os poemas, nem preciso falar, n? adoro smile
darkskies_:
brigadim por seu carinho, Haylie!!! smile
0
DEMIURGO

eu
tolo e frgil demiurgo

eu
criador de universos
carnes e coisas

quantos mundos criei
somente para preencher o espao

frio e triste
o vazio tempo-espao
aquilo que se espalha
espalha
espalha

o que se espalha entre

um seu sorriso

um seu olhar

-- Abril de 2013
VIEW 5 of 5 COMMENTS
jacqueline:
gostei do poema! wink
darkskies_:
Thanx, Jackie!!! kiss
0

meu pas
meu territrio

nele tudo desafia
explicao

as palavras falam pelo que no dizem
as razes pelo que no confirmam
os feitios pelo que no conjuram

as juras de amor valem
e s por isso que valem
pelo tremular da voz que no sabe bem o que diz

nesse pas meu territrio
somente h slida uma nica instituio
as fugidias palavras que me vem...
Read More
VIEW 7 of 7 COMMENTS
caia:
Este escrevi em 2001 smile

O meu mundo?
Num mundo to longe do teu,
Onde tudo gira de outra maneira,
Vivem sombras e almas
Que rodopiam loucamente
Assobiando ao vento,
Sorrindo lua.
Este mundo to bizarro quanto meu
ao p do nada e junto de mim.
Ningum encontra este mundo perdido
Onde voam cartas de lamentaes,
Poemas melanclicos,
Nostalgias da vida.
um lugar de culto
Para os coraes que no batem,
Para os loucos que amam.
Mundo dos esquecidos,
Dos que se abandonaram...
Mundo para anjos sem asas
Onde no h nada
Nem ningum...
H um todo universal e infinito
De seres que choram a vida!
No h paz nem guerra
Apenas o confronto das emoes.
Nesse mundo talvez idlico
Perto do cu e do inferno
Perto de mim...
O meu mundo?
sobretudo um mundo de mortos
Onde vive quem no sabe viver!
30.01.01
darkskies_:
Lindo poema, Caia!!!
0
nem vitria
nem derrota
apenas o fim de um longo embate

dia de respirar devagar
e sorver
com cuidado
as emoes advindas do momento de dor que se avizinha

dia de respirar devagar
e preparar o caminho
a alma livre e leve
as venturas do porvir

o tempo futuro que se aproxima a galope

assim seja

http://www.youtube.com/watch?v=z9ldlqr8ZQE